sexta-feira, 30 de novembro de 2012

[RESENHA] Doce Perseguição - Janethe Fontes

Primeiramente devo dizer que adoro a capa desse livro; acho-a muito linda mesmo. Sobre a história, eu esperava um bom suspense, com uma boa dose de romance. O grande problema é que o romance não foi tão bom como eu esperava, e nem o suspense. Mas o que mais me incomodou durante a leitura foi apenas uma personagem: Graziela.

Edição: 1
Editora: Giostri Editora 
ISBN: 0000000000
Ano: 2012
Páginas: 247

Nota: (2,5/5)
Uma jovem brutalmente assassinada... Um homem frio e perigoso... Uma promessa de vingança... Graziela tinha apenas quatorze anos de idade quando a irmã fora violentamente assassinada, e ela jurou vingança ao assassino. Essa, porém, seria a missão mais difícil de sua vida, pois, por mais que renegasse seus sentimentos, ela amava o principal suspeito do assassinato... Mas Graziela está disposta a ir até as últimas conseqüências para descobrir a verdade e cumprir sua promessa. Afinal, a paz de seu coração depende exclusivamente disso...

Graziela e Helena são irmãs e moram sozinhas. Seus pais morreram em um acidente e ambas só tem uma à outra. Helena vive um relacionamento aparentemente normal com Felipe — que além de muito bonito, é modelo. As duas irmãs têm o apoio dos tios, já que ambas vivem sozinhas. Helena vive um caso amoroso com seu primo Rodrigo, o que leva Graziela a ser irritar com ela diversas vezes por isso. Graziela sente algo por Felipe; um sentimento forte. Porém, ela não tem coragem de expor esse sentimento, por medo de criar conflitos principalmente com a sua irmã.

Inesperadamente, em uma noite comum, Helena é brutalmente assassinada e o principal suspeito é Felipe. Ele é preso sem provas concretas de que fosse de fato o assassino, apenas porque ele esteve com a Helena naquela noite; fora a última pessoa que aparentemente esteve com ela. 

Com o passar dos anos, Graziela começa a nutrir um sentimento de vingança contra Felipe, querendo a todo custo vingar a morte da irmã. Então, assim que descobre que ele está sob liberdade condicional, não se contém e tenta fazer de tudo para que ele volte para a prisão. Porém, esse reencontro mexe totalmente com os sentimentos dela e com os dele também, até porque ele também sentia algo por ela; algo parecido com paixão.

E à partir desse ponto, Graziela começa à se indagar: Felipe matou mesmo a Helena? Será que naquela fatídica noite a Helena se encontrou com outro alguém?

"— Eu também não estou brincando. Tudo isso é muito sério para mim, Grazi. Será que ainda não percebeu isso? — e aproximou a boca da dela, fixando o olhar provocantemente. — Precisa entender que nossos destinos se cruzaram há muito tempo atrás. E que não estou confundido nada, porque tudo já foi suficientemente confuso para nós dois. Mas não precisa ser assim. Eu amo você e você me ama. E o amor é muito simples e autossuficiente."
Pág.: 222

Eu gostei muito da escrita da autora. Precisava deixar bem claro isso. Porém, a história deixou a desejar. Eu acreditei que o suspense seria bem trabalhado, levando o leitor a criar suas principais suspeitas. Mas isso não aconteceu e a maneira como foi revelado o assassino foi muito rápida.

A Graziela me irritou durante quase toda a leitura. Personagens como ela sempre me irritam demais e me incomodam bastante. Não havia razões para ela querer se mostrar forte o suficiente diante do Felipe, sabendo que isso nunca acontecia. Ela também é muito imatura e algumas vezes eu a achei parecida com a Nina da novela "Avenida Brasil". Claro que só é uma mera semelhança. E sinceramente, não gostei mesmo dela.

As únicas personagens que me conquistaram foram: Felipe e Raquel — amiga da Graziela. Elas são interessantes e me conquistaram desde o início do livro. Esse foi o grande positivo da história — pelo menos para mim.

Contudo, o livro é razoável. Poderia ter sido bem melhor, mas infelizmente não foi. Como eu citei anteriormente, a autora escreve muito bem, sabe usar bem as palavras no momento certo, porém cometeu alguns deslizes, principalmente na construção da história. Caso tenha ficado interessado, leia e tire suas próprias conclusões. Espero ler outros livros da autora, até porque acredito no potencial dela.

Fica a dica!


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

[RESENHA] Manuscrito Encontrado em Accra - Paulo Coelho

Quando eu soube que o Paulo Coelho havia publicado outro livro, fiquei curioso. Antes mesmo de ler a sinopse, só ao observar a capa, acreditei que o livro fosse bom. Mas inevitavelmente me enganei. Esperava uma história bem mais interessante da que foi apresentada no livro. 

Edição: 1
Editora: Sextante
ISBN: 9788575428221
Ano: 2012
Páginas: 176

Nota: (2/5)
14 de julho de 1099. Enquanto Jerusalém se prepara para a invasão dos cruzados, um grego conhecido como Copta convoca uma reunião com os jovens e velhos, homens e mulheres da cidade. A multidão formada por cristãos, judeus e muçulmanos chega à praça achando que irá ouvir uma preleção sobre como se preparar para o combate, mas não é isso que Copta tem a lhe dizer. Tudo indica que a derrota é iminente, mas o grego só quer instigar as pessoas a buscarem a sabedoria existente em sua vida cotidiana, forjada a partir dos desafios e dificuldades que têm de enfrentar. O verdadeiro conhecimento, acredita, está nos amores vividos, nas perdas sofridas, nos momentos de crise e de glória e na convivência diária com a inevitabilidade da morte. Na tradição de O Profeta, de Khalil Gibran, o Manuscrito encontrado em Accra, de Paulo Coelho, é um convite à reflexão sobre nossos princípios e nossa humanidade.

A história acontece no dia 14 de Julho de 1099. Toda a cidade de Jerusalém se preparava para a invasão dos Cruzados. Mesmo com membros de religiões distintas vivendo entre si, o clima entre todos era harmônico e inevitavelmente esperavam pela invasão. Porém, antes que a tal invasão aconteça, um grego chamado Copta reúne uma multidão e começa a dialogar sobre diversos valores e situações cotidianas. 

O livro aborda uma reflexão sobre diversos valores e tenta fazer o leitor refletir sobre eles. Será que estamos, de fato, esquecendo dos valores mais importantes na vida? Por que boa parte dos valores estão tendo seus significados distorcidos? 

“E os verdadeiros amantes poderão entrar no jardim da beleza sem temor de serem julgados. Não serão mais dois corpos e duas almas que se encontram, mas uma única fonte de onde jorra a verdadeira água da vida” 
Pág.: 93

Eu sinceramente não gosto de livros onde praticamente não existe história e só há ensinamentos, reflexões etc. E "Manuscrito Encontrado em Accra" é bem assim. Eu esperava que iria encontrar uma história bem trabalhada, onde as reflexões fossem parte do resultado ao término da leitura. Mas não foi o que encontrei.

É inevitável dizer que o Paulo Coelho escreve bem. Ele sabe usar bem as palavras, no momento certo. O grande problema mesmo foi a história que não me convenceu em momento algum. Lembrou-me muito livros de autoajuda, que eu particularmente não gosto.

Contudo, caso tenha curiosidade e sabe que gostará do tema proposto, não hesite e leia. Acredito que para você, a leitura será proveitosa. Porém, caso contrário, não será uma boa escolha. Até porque para mim não foi proveitosa.

Fica a dica!



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Novas Parcerias - Autores Nacionais


Sobre a obra:

"Da Leitura de A Queda da Bastilha ficam algumas conclusões: a primeira é que a poesia brasileira ganha uma nova e exímia autora; a segunda é que é possível, recolhendo elementos cotidianos, transformá-los em poesia falando deste ente tão extraordinário que é o ser humano." (Roberto Schmitt-Prym) 

Sobre a autora:


Leila Krüger nasceu em Ijuí, a noroeste do Rio Grande do Sul. É romancista, poetisa e contista. Tem poemas e contos publicados em jornais e revistas. Lançou “Reencontro”, seu primeiro romance, em novembro – 2011, pela Ed. Novo Século – SP. Classificou-se em quarto lugar no XXXIII Concurso Internacional Literário, nas categorias Poesia e Conto, que serão publicados na coletânea “Amanhã, Outro Dia”, pelas Edições AG, em 2011. Também foi selecionada para a antologia "Tempo de Tudo: Contos", da Câmara Brasileira de Jovens Escritores, 2011.


______________________________________


Sinopse:
Alice tem 26 anos e, desde a adolescência, é atormentada por presságios. Desacreditada por psiquiatras, ela é considerada psicótica, até que uma de suas visões a possibilita desvendar um misterioso homicídio. A polícia atribui a autoria do crime ao Beato Judas, um assassino serial de freiras, mas a descrição do suspeito não se parece em nada com o homem que ela viu em sua premonição. Agora, Alice terá de correr contra o tempo para provar que não é louca e para evitar que o assassino faça uma nova vítima. Suspense, misticismo e sensualidade se misturam neste fantástico thriller policial que parece ter a capacidade sobrenatural de manter seus leitores alucinados da primeira à última página. 

Sobre o autor:

Leonardo Barros é médico formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. É autor do romance erótico “Amor de Yoni” (publicado em 2008); do suspense policial “O Maníaco do Circo – e o menino que tinha medo de palhaços” (publicado na XIV Bienal do Livro Rio, em 2009); da comédia “Saúde, Beleza, Prosperidade e Riqueza” (publicação independente, 2010) e da comédia “Solteiro Em Trinta Dias - Receitas de sucesso de um ex-otário” (publicado em 2011).
“Presságio – O assassinato da Freira Nua” é sua quinta ficção e seu segundo suspense policial.
Para contatar o autor deste livro envie um e-mail para leobarrosescritor@gmail.com, siga-o no Twitter: @LeoEscritor ou adicione-o no Facebook: facebook.com/leobarrosescritor.


sábado, 24 de novembro de 2012

[RESENHA] Lilac - Deise C. Müller

Antes de começar a leitura de "Lilac", eu sabia que ia gostar do livro. Li algumas resenhas sobre ele, antes mesmo de começar a leitura, e todas sempre o elogiavam. Eu acredito no potencial dos autores nacionais. Acredito que esse foi um dos fatores que me fez gostar muito do livro.

Edição: 1
Editora: Novo Século
ISBN: 9788576796442
Ano: 2012
Páginas: 392

Nota: (4/5)
Lilin, uma succubus ambiciosa, tenta aniquilar Lúcifer. E como punição, é enviada a Terra e destituída de seus poderes. Transformada em feiticeira, Lilin assume vários consortes e começa um plano para reinar sobre os seis clãs dos feiticeiros. Meg cresceu acreditando ter herdado habilidades mágicas de sua tataravó feiticeira. Abandonada ainda bebê pela mãe, seu pai tenta fazer com que ela e sua irmã se interessem pela arte oculta, porém a última coisa que uma adolescente quer é aprender feitiços com sangue de galinha e adagas afiadas. Entretanto, quando Lauren, sua irmã, é assaltada e baleada, e Lucas seus ex-namorado, desaparece misteriosamente Meg se arrepende de não seguir os conselhos do pai. Meg retorna à cidade onde cresceu, para se afastar da dor do passado e da acusação nos olhos do pai. Seu passado, no entanto, não está disposto a deixá-la em paz. Craft, o suspeito inicial no desaparecimento de Lucas, acaba sendo o rei do clã Domovoi, o mais poderoso dos clãs, e sua única esperança de escapar de seu caçador, e da escuridão na qual seu coração se afundou. Mas quando sobreviver pode significar ser um receptáculo ambulante para um demônio que planeja destruir tudo o que você ama, e morrer significa destruir o coração daqueles que te amam, o que fazer? Um demônio banido… Uma linhagem condenada… E uma atração inevitável. O amor realmente supera tudo?

Meg é uma mulher comum, que perdeu sua amada irmã misteriosamente, acabou o namoro e quer ter uma vida normal. Inesperadamente, na noite do seu aniversário, sua prima Jodie a convida para ir à uma balada e mesmo relutante no começo, ela acaba aceitando. O que Meg não esperava era que sua vida iria mudar radicalmente naquela noite. Ao chegar à balada, ela conhece o misterioso ― e sexy ― Craft. A atração entre eles é inevitável e imediata. 

Craft é rei e feiticeiro, muito poderoso e que ao conhecer Meg naquela noite, fica completamente louco por ela. Meg também fica louca por ele e a partir dessa noite, uma paixão intensa surge entre eles. 

"Lilac" possui uma história repleta de feiticeiros destemidos e valentes, que lutam pela segurança da sua linhagem. Uma história repleta de magia, paixão, aventura e mistério, que envolve o leitor do começo ao fim. 

"Não, errada novamente, não era apenas um cara... Era um cara que parecia ter saído dos meus melhores sonhos molhados. Ele devia medir um e noventa. Usava uma camiseta preta que me permitia o prazer da visão dos belos bíceps e tríceps e uma calça jeans cor de chumbo que se moldava à pele dele de um jeito que eu estava louca para imitar. Mas, apesar do seu belo corpo, não tão largo, mas sólido como rocha, o que me impressionou foram o seu rosto e seu cabelo. Ele tinha uma beleza severa, de traços puramente masculinos, com sobrancelhas grossas e esculpidas, nariz reto, maxilar quadrado e uma boca feita para eu beijar. Mas, o que mais chamava a atenção eram seus olhos, quase brancos, como os de um Husky siberiano, e seus cabelos, lisos e na altura dos ombros, com mechas prateadas, provavelmente feitas para combinar com os olhos. Rapaz, aquilo causava um efeito incrível."
Pág.: 20

O livro contém cenas de sexo bem explícitas e bem descritas. As personagens se entregam totalmente e não escondem isso. Eu gosto de personagens assim, que não escondem o que sentem e se entregam aos seus sentimentos. E acredito que todo leitor adorará os momentos íntimos entre Craft e Meg. 

A autora soube construir um enredo interessante e bem estruturado, apesar de que eu espero que algumas coisas sejam explicadas no próximo livro. Ela consegue descrever os lugares, os sentimentos das personagens, tudo, mas de uma maneira que não torna a leitura cansativa. 

Cada personagem possui uma personalidade distinta. Eu não encontrei personagens semelhantes à outras. 

Outro detalhe importante é que o livro possui vários momentos de tensão e aventura, e eu sempre ficava tenso, sem saber o que poderia acontecer, ao virar a próxima página. 

Ao longo da história, varias histórias vêm à tona e o passado de várias personagens também, revelando segredos, mostrando como funciona o universo dos feiticeiros e acima de tudo, melhorando ainda mais a leitura.

Contudo, o livro é muito bom. Foi realmente o que eu esperava e me proporcionou bons momentos de leitura. O final é uma tortura e me deixou ansioso pelo próximo livro, que acredito que será ainda melhor. Se você procura uma história sobrenatural interessante e sexy, com toda certeza você gostará de "Lilac".

Recomendo!

[PROMOÇÃO] Natal Entre Blogs - Até 25/12

Todos comemoram o natal (eu acho) a cada ano. E nada melhor do que vários blogues juntos trazendo para seus leitores uma grande promoção! Então, APROVEITEM!!! 





Prêmios:

1º Ganhador:

  • Romeu imortal - Stacey Jay;
  • Julieta imortal - Stacey Jay;
  • À primeira vista - Nicholas Sparks;
  • Um ano inesquecível Ronald Anthony;
  • Para sempre - Kim e Krickitt Carpenter;
  • Sr e Sra Smith - Jane, John Smith;
  • As confissões de Laura Lucy - Fernanda Saads.
2º Ganhador:
  • Luxuria Eve Berlin;
  • Segredos revelados - Fern Michaels;
  • O ladrão de raios - Rick Riordan;
  • O mar de monstros - Rick Riordan;
  • A culpa é das estrelas John Green;
  • A hospedeira - Stephenie Meyer;
  • Toda sua - Sylvia Day.
As regras:
  • Seguir os blogs participantes pelo GFC (Incluindo o meu também):
Leitura Maravilhosa
  • Residir em território nacional;
  • Deixar um comentário de participação em algum dos blogues (DE PREFERÊNCIA NO QUE VOCÊ ESTÁ PARTICIPANDO);
  • Preencher corretamente o formulário abaixo:

a Rafflecopter giveaway

Boa Sorte!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

[RESENHA] O Começo do Adeus - Anne Tyler

Eu não gosto criar expectativas antes de começar alguma leitura. Confesso que há alguns livros em que é impossível não criar. Quando eu recebi esse livro, não criei expectativas e esperava apenas uma boa leitura. Mas infelizmente eu não tive uma boa leitura, apesar de a autora escrever de uma forma sublime. O grande problema foi a história.

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630397
Ano: 2012
Páginas: 208

Nota: (1,5/5)
Anne Tyler nos leva a um romance sábio, assustador e profundamente tocante em que descreve um homem de meia-idade, desolado pela morte de sua esposa, que tem melhorado gradualmente pelas aparições frequentes da mulher — na casa deles, na estrada, no mercado. Com deficiência no braço e na perna direita, Aaron passou sua infância tentando se livrar de sua irmã, que queria mandar nele. Então, quando conhece Dorothy, uma jovem tímida e recatada, ele vê uma luz no fim do túnel. Eles se casam e têm uma vida relativamente modesta e feliz. Mas quando uma árvore cai em sua casa, Dorothy morre e Aaron começa a se sentir vazio. Apenas as aparições inesperadas de Dorothy o ajudam a sobreviver e encontrar certa paz. Aos poucos, durante seu trabalho na editora da família, ele descobre obras que presumem ser guias para iniciantes durante os caminhos da vida e que, talvez para esses iniciantes, há uma maneira de dizer adeus.

O protagonista da história é Aaron  um homem deficiente — que vive normalmente com sua mulher Dorothy. Ela é mais velha que ele, porém nada atrapalha o casamento deles — que é bastante comum, por sinal. Inesperadamente, Dorothy morre e a vida de Aaron muda completamente. 
Ele vai morar com a sua irmã e não sabe o que o destino reserva para ele. Porém, nos locais mais improváveis, Aaron começa a ver o espírito de Dorothy.  
À partir dessas visões, ele começa a se indagar: eu realmente vivia um casamento perfeito? Será que os sentimentos que ambos sentíamos um pelo outro era recíproco?

"Andei numa espécie de transe, mantendo minha marcha o mais constante possível, como se Dorothy fosse um líquido e eu estivesse cheio dela até a borda, movendo-me cuidadosamente e vagarosamente para não derramá-la."
Pág.: 135



A história do livro é basicamente essa e foi justamente por isso que eu não gostei. A autora escreve muito bem e até já recebeu muitos prêmios literários devido a seu talento, porém a história é muito desinteressante. 

O livro é pequeno e eu sinceramente pensei que não demoraria para terminá-lo. Porém, estava completamente enganado. A história começa bem, mas depois fica bastante enfadonha e até mesmo repetitiva, e eu demorei bem mais do que o necessário para concluí-la.

A personagem principal — Aaron — foi bem construída e acredito que algumas pessoas se identificarão com ela. Mas quando se trata das personagens secundárias, esperava um aprofundamento melhor por parte da autora. 

Sobre o final, foi o que eu esperava e consequentemente não me surpreendeu.

Concluindo, eu não gostei do livro. A história é basicamente sobre como conseguir superar a perda de alguém e seguir em frente. Foi uma leitura que não me trouxe ensinamento algum ou mudou minha forma de pensar. Apenas mais uma leitura. Caso tenha interesse, leia e tire suas próprias conclusões. Só não espere uma grande história, pois talvez não seja isso que você realmente encontre.

Fica a dica!


[PROMOÇÃO] Natal Literário - Editora Novo Conceito


Serão 3 GANHADORES!

Prêmios:

P.S.EU TE AMO
UM OLHAR DE AMOR
A VEZ DA MINHA VIDA
O COMEÇO DO ADEUS
O REINO
LAÇOS INSEPARÁVEIS
BELLE
LOLA E O GAROTO DA CASA AO LADO
O ESPIÃO
UM ANO INESQUECÍVEL

Olá!
Antes que participe da promoção, por favor, leia este aviso abaixo:

AVISO:

Para você que irá participar da promoção, o livro "Um Olhar de Amor" só será enviado, caso um dos sorteados/ganhadores já tenha mais de 18 anos. Se por acaso dois, dos três sorteados, tenha mais de 18 anos, eu farei outro sorteio entre eles, e apenas UM levará o livro. Caso também nenhum dos três sorteados tenha mais de 18 anos, ou seja, menores de idade, nenhum ganhará o livro. Eu farei outro sorteio, em outro momento. Portanto, um dos sorteados poderá ganhar 4 livros

Regras:


  • Seguir o blog publicamente;
  • Ser residente no Brasil;
  • E comentar neste post, validando sua participação. (UM COMENTÁRIO APENAS!)
  • Preencha o formulário abaixo:
  • a Rafflecopter giveaway



Para tirar suas dúvidas, contate-me pelo seguinte e-mail: 
oleeoh123@gmail.com


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Lançamentos das Editoras Parceiras


Sinopse:

Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.
Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos.
Em A viagem do tigre, terceiro volume da série A maldição do tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada em direção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.

Sinopse:

Jeremy Marsh tinha três certezas: jamais se mudaria de Nova York, não se apaixonaria novamente e nunca teria filhos.
Mas agora ele está prestes a se casar com Lexie Darnell e aguarda a chegada da primeira filha, enquanto conduz a reforma de sua nova casa na pequena cidade de Boone Creek, na Carolina do Norte.
Em meio a tantas mudanças, Jeremy luta para reencontrar o equilíbrio pessoal e profissional ao lado da mulher que o fez mudar todos os seus planos. Quando tudo parece estar entrando nos eixos, Jeremy recebe um misterioso e-mail que dá início a uma série de acontecimentos que irão testar a força dessa paixão.
Atormentado pela ideia de estar sendo traído, vivendo uma crise criativa que o impede de trabalhar e angustiado com a gestação complicada de Lexie, ele não poderia imaginar que o pior – e o melhor – ainda estava por vir.
À primeira vista captura toda a incerteza, a tensão e a angústia da vida desse jovem casal, mas também retrata o romantismo, o companheirismo, a descoberta e o amadurecimento que só o verdadeiro amor pode proporcionar.
___________________________________________________


Sinopse:

Quando Barry Fairbrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque. A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista. A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas?

Detalhe: Esse livro será lançado no início de Dezembro.








sábado, 17 de novembro de 2012

[RESENHA] O Caminho Para Casa - Kristin Hannah

Esse livro foi uma surpresa maravilhosa. Mesmo após ter concluído a leitura, ela permanece viva ainda em meu consciente. Não esperava que fosse me surpreender tanto, porém esperava uma boa leitura. O livro foi além de todas as minhas expectativas e ao terminá-lo, senti um aperto no coração — adoro quando isso acontece — e isso prova que a autora cumpriu seu papel. 

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410815
Ano: 2012
Páginas: 352
Nota: (5/5) 

Durante 18 anos, Jude pôs as necessidades dos filhos em primeiro lugar, e o resultado disso é que seus gêmeos, Mia e Zach, são adolescentes felizes. Quando Lexi começa a estudar no mesmo colégio que eles, ninguém em Pine Island é mais receptivo que Jude. Lexi, uma menina com um passado de sofrimento, criada em lares adotivos temporários, rapidamente se torna a melhor amiga de Mia. E, quandoZach se apaixona por ela, os três se tornam companheiros inseparáveis.
Jude sempre fez o possível para que os filhos não se metessem em encrenca, mas o último ano do ensino médio, com suas festas e descobertas, é uma verdadeira provação. Toda vez que Mia e Zach saem de casa, ela não consegue deixar de se preocupar.
Em uma noite de verão, seus piores pesadelos se concretizam.
Então a vida dá uma guinada, levando os personagens a viver sentimentos intensos – amor e ódio, culpa e perdão – que qualquer um de nós poderia experimentar. Uma decisão muda seus destinos, e cada um deles terá que enfrentar as consequências – e encontrar um jeito de esquecer ou a coragem para perdoar.
O caminho para casa aborda questões profundas sobre maternidade, identidade, amor e perdão. Comovente, transmite com perfeição e delicadeza tanto a dor da perda quanto o poder da esperança.

Jude Farraday é uma mulher aparentemente comum, rica, casada com o homem dos sonhos e tem dois filhos gêmeos — Mia e Zach  que os ama de forma incondicional e até mesmo de uma maneira obsessiva demais. Ela monitora tudo o que eles fazem, quer programar o que eles devem fazer... Enfim, ela é a típica mãe que não permite que os filhos não façam nada se não for da forma que ela queira. Porém, ela não imagina o quanto isso pode prejudicar não só a seus filhos, mas a si mesma.

Lexi é amiga de Mia e vive uma vida completamente diferente. Sua mãe era uma viciada em drogas, que só a fazia sofrer. Morou em um orfanato durante alguns anos, até que sua tia Eva — que até então ela desconhecia — resolveu adotá-la.

Inesperadamente Lexi se apaixona por Zach e eles vivem momentos intensos juntos. Até que ocorre uma tragédia que muda radicalmente a vida de todos e o perdão é a única solução para tudo.

"— As pessoas pensam que amar é um ato de fé — falou a mãe. — Às vezes, é um ato de vontade. Eu não tinha forças para amar você, Jude. Ou para demonstrar o amor, imagino. Não sei qual dos dois, mas, no final das contas, qual é a diferença? Você é mais forte do que eu jamais fui."
Pág.: 322

Esse livro mexeu com meus sentimentos de forma intensa. É um drama tão real, que é impossível não se impressionar. Ora eu senti ódio, ora eu conseguia entender os motivos de tal personagem. É tudo tão palpável, que é impossível não se colocar na história, ou melhor, não se envolver e tentar de alguma forma encontrar o caminho certo para resolver todos os problemas.

A Jude é uma personagem tão verossímil. É tão comum encontrar mulheres iguais a ela, que só por isso a autora merece ser elogiada. Admito que senti ódio por várias atitudes dela, mas a maioria eu pude entender os motivos que a levavam a agir daquela maneira. O medo de perder algo que se ama muito pode prejudicar muito não só a pessoa que sente medo, mas também aquilo que ela tanto ama e cuida. E a autora soube mostrar de forma magnífica isso.

É impossível não sofrer com a Lexi em vários momentos. Confesso que houve momentos em que eu queria encontrar alguma forma de ajudá-la. Alguma forma que pudesse fazê-la não sofrer tanto. 

O livro também aborda a injustiça que sempre cai para o lado do mais pobre financeiramente. É impressionante, mas sempre a justiça só favorece o lado mais privilegiado.

Eu poderia citar sobre tantas coisas que eu encontrei durante a leitura, mas acabaria soltando spoilers enormes. A leitura me envolveu de várias formas, que eu me senti preso à ela e vivendo todos os dramas de cada personagem. E eu sei que eu não conseguirei descrever o quanto essa história é emocionante, porque é complicado comentar sobre um livro muito bom. 

Concluindo, eu gostei muito mesmo do livro. Possui um enredo bem construído, com personagens bem construídas também e que conseguiram me envolver completamente. Portanto, se tiver oportunidade, leia esse livro. É uma leitura interessante que consegue envolver o leitor de diversas formas. 

Recomendo!





quinta-feira, 15 de novembro de 2012

[RESENHA] Um Olhar de Amor - Bella Andre

Eis a mais nova aposta erótica do mercado literário, publicado pela querida editora Novo Conceito. Antes mesmo de começar a leitura, não criei muitas expectativas e esperava um romance erótico, acompanhado de uma dose de romantismo. E foi exatamente isso que eu encontrei.

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581631158
Ano: 2012
Páginas: 256

Nota: (3/5)
Chloe Peterson está tendo uma noite ruim. Uma noite realmente ruim. O machucado grande em sua bochecha pode provar isso. E quando seu carro patina para fora da estrada molhada em direção a uma vala, ela está convencida de que até o cara maravilhoso que a salvou do meio da tempestade deve ser muito bom para ser verdade. Ou ele é mesmo? Por ser um fotógrafo de sucesso que viaja frequentemente pelo mundo, Chase Sullivan tem seu jeito com mulheres bonitas, e quando ele está em casa, em São Francisco, um de seus sete irmãos normalmente está acordado para começar um pouco de diversão. Chase acha que sua vida é ótima do jeito que está — até a noite que encontra Chloe e seu carro destruído na rodovia Napa Valley. Não apenas nunca tinha conhecido alguém tão adorável, por dentro e por fora, mas como também percebe que ela tem problemas maiores do que seu carro batido. Logo, ele será capaz de mover montanhas por amor — e proteção — a ela, mas ela deixará? Chloe prometeu nunca cometer o erro de confiar em um homem novamente. Mas a cada olhar que Chase lança a ela — e a cada carinho doce e pecaminoso — conforme a atração entre eles sai faísca e esquenta, ela não pode fazer nada a não ser se perguntar se encontrou a única exceção. E apesar de Chase não perceber que sua vida mudaria para sempre em um instante, para melhor, ele não é o único a querer lutar por essa mudança. Ao contrário, ele está se preparando para uma luta... pelo coração de Chloe.


Em um dia chuvoso, Chloe está caminhando sozinha pela estrada, com um hematoma no rosto, e o motivo de ela estar sozinha na estrada é porque seu carro atolou e ela não sabia o que fazer. Até que, para sua salvação, o fotógrafo Chase está passando com seu carro pela estrada e a vê. Imediatamente, ele vai até ela para ajudá-la. De início, ela recusa a ajuda de Chase — mesmo o achando incrivelmente lindo e atraente —, mas depois acaba cedendo e ele a leva para a propriedade do irmão. 

Ambos se sentem atraídos um pelo o outro, desde o primeiro contato. Chase não quer assustá-la e nem muito menos que ela se vá, pois está disposto a conquistá-la custe o que custar. Chloe — mesmo completamente atraída por ele — tenta reprimir essa atração e não quer se deixar envolver por alguns motivos que só a fizeram sofrer antes.

Mas será que ambos irão se entregar a essa incrível atração existente entre eles? Chase conseguirá conquistar o coração de Chloe? E Chloe se deixará ser conquistada? 

"— Naquela noite em que você me encontrou — ela começou, em um tom suave —, eu sabia que nunca mais confiaria em um homem. Sabia que não era possível. Mas você entrou na minha vida e a virou de ponta-cabeça. E, de repente, tudo que eu sabia, tudo em que eu acreditava, foi colocado em dúvida. — Ela balançou a cabeça. — Eu não queria me fazer essas perguntas. Não queria cometer o erro de ter expectativas de novo. Não queria acabar acreditando na coisa errada mais uma vez. Era mais fácil, bem mais fácil, agarrar esses sentimentos antigos. Era mais fácil dizer a mim mesma, dizer a você, que nossa ligação era apenas física. De alguma maneira, eu tinha que encontrar um jeito de justificar o porquê de eu não negar seu toque, seus beijos."
Pág.: 227

É inegável constatar que esse livro remete muito aos famosos romances de banca. A típica mulher insegura e bonita que encontra o homem lindo e dos seus sonhos. Porém, o livro é bom. A autora soube descrever bem as personagens e os seus respectivos sentimentos. Se for compará-lo a muitos livros eróticos lançados atualmente, esse livro é bem superior. Até porque a história não só se resume a sexo. 

O romance, em alguns momentos, foi muito irreal para mim. Principalmente por causa de algumas atitudes do Chase. Não que essas atitudes tenham me irritado. Não. Porém, era inconcebível para eu acreditar que algum homem as faria. 

Sobre as personagens, não há nada de surpreendente ou inovador. São personagens comuns. Principalmente quem lê romances de banca, verá que não há nada diferente. Ou até mesmo quem não lê. 

A história é leve e flui naturalmente. E em momento algum a leitura tornou-se cansativa. 

As cenas de sexo são bem descritas, e até mesmo clichês. Na realidade, o livro em si é clichê. Porém, essa história não me incomodou, pois eu já esperava uma história previsível. 

Contudo, o livro é bom. Eu não criei muitas expectativas e as poucas que criei, foram atendidas. Portanto, caso tenha ficado interessado, leia sem esperar um grande romance. Apenas espere uma leitura leve, gostosa, para tirar o tédio ou desanuviar a mente. E acredito que sim, você conseguirá aproveitar a leitura. 

Recomendo!



segunda-feira, 12 de novembro de 2012

[RESENHA] Ame O Que É Seu - Emily Giffin

Sempre quando vou começar a leitura de algum livro da querida Emily Giffin, crio muitas expectativas e sempre espero me surpreender. Eu gosto muito das suas personagens, pelo fato de serem tão verossímeis, que chega a ser incrível. Confesso que quando acabei de ler a última página do livro "Ame O Que É Seu", eu senti uma decepção. Esperava muito mais da história e ao menos, um final aceitável. Mas infelizmente não foi o que aconteceu. 

Edição: 2
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788599560532
Ano: 2012
Páginas: 312

Nota: (2,5/5)
O tema deste livro deixa aquela pulga atrás da orelha, te faz imaginar como seria a vida se tivéssemos feitos outras escolhas. Esta é uma história para quem algum dia já se perguntou isso. 
Em Ame o que é seu o leitor encontrará a história de uma mulher (Ellen) dividida entre o amor real e aquele fatídico "E, se"  casamento de Ellen e Andy não parece perfeito, ele é perfeito. São inegáveis a profundidade da devoção mútua e o quanto um esperta o melhor do outro. Mas por obra do destino, certa tarde, Ellen revê Leo pela primeira vez em oito anos. Leo, aquele que partiu seu coração sem se explicar, aquele que ela não conseguiu esquecer.
Quando o reaparecimento dele desperta sentimentos há muito adormecidos, Ellen se põe a questionar se sua vida atual é de fato como ela queria que fosse.
O desenrolar da história é contagiante, pois a cada página acontecem novas cenas que é quase impossível abandonar a leitura, ou ... não se colocar em seu lugar.



Ellen e Andy vivem um relacionamento aparentemente perfeito. Ambos se entendem de maneira mútua e possuem um relacionamento estável. Até que, inesperadamente, Ellen reencontra o seu grande amor do passado, Leo. Ela acreditava que não sentia mais nada por Leo; que tudo o que aconteceu no passado, havia sido apenas uma aventura. Porém, esse reencontro, mexeu com ela e mais ainda, fez vir à tona sentimentos, até então, adormecidos. E em meio a tudo isso, ela começa a se indagar: será que eu sempre amei o Andy? Será que eu, de fato, sou feliz ao lado do Andy? Será que eu seria muito mais feliz ao lado do Leo?

Enfim, em meio a vários acontecimentos, a vida de Ellen muda radicalmente e ela precisa fazer a escolha que não só mudará a sua vida, mas como a de todos a sua volta.

"Geralmente existe um passado menos glorioso escondido em algum canto. Há pessoas, lugares e acontecimentos que o levam até um relacionamento definitivo.. Pessoas, lugares e acontecimentos que você preferia esquecer ou, no mínimo, fazer de conta que nunca existiram. No final, você pode colocar um belo rótulo em tudo."
Pág.: 13

Confesso que a Ellen me irritou bastante com essa indecisão. Eu entendo que toda pessoa precisa tomar decisões difíceis na vida, mas a Ellen é muito indecisa. Se ela vivia bem com Andy, qual o motivo dessa indecisão ao reencontrar o Leo?! Claro que ela viveu momentos intensos com o Leo. Mas o Leo foi apenas uma aventura e isso estava bem explícito. 

A Ellen é uma personagem muito verossímil. Como sempre, Emily Giffin conseguindo criar personagens que poucos autores têm capacidade de fazer tal feitio. Eu entendo que muitas mulheres vivem essa indecisão, mas no caso da Ellen ― pelo menos do meu ponto de vista  não devia existir essa indecisão. 

Sobre o final, eu achei que a atitude dela foi aceitável, mas foi tomada de uma maneira muito precipitada e até um pouco, irracional. Mas acredito que tenha feito a escolha certa.

A leitura oscila muito: ora flui de maneira normal, ora torna-se muito cansativa. E essa oscilação prejudicou bastante a minha leitura, já que eu havia criado muitas expectativas.

Concluindo, o livro é razoável. Jamais é o melhor livro da autora. Como eu citei anteriormente, eu gosto muito dos livros da Emily, mas esse não foi um livro bom. Caso tenha ficado curioso, leia e tire suas próprias conclusões. Até porque, muitas pessoas elogiaram esse livro e eu quis lê-lo justamente por isso, para saber se era realmente maravilhoso e para ter minha opinião.

Fica a dica!



sábado, 10 de novembro de 2012

[RESENHA] Um Porto Seguro - Nicholas Sparks

Depois de ler alguns livros não muito bons do Nicholas, comecei "Um Porto Seguro" um pouco receoso. Ainda bem que ele não me decepcionou e me proporcionou uma boa leitura. E é sempre difícil escrever uma resenha de um livro que eu tenha gostado muito.  

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630045
Ano: 2012
Páginas: 414

Nota: (5/5)
Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas... e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio.

Katie é uma mulher misteriosa e muito bonita. Ela chega para morar em uma cidade bem tranquila, na realidade, a cidade é tão tranquila que chega a ser pacata. Ela quer encontrar um novo sentido para sua vida e acima de tudo, quer viver uma nova vida. Porém, ela guarda um segredo consigo. 

Alex é pai de duas crianças, viúvo, e sua rotina é quase sempre a mesma e nada interessante acontece. Ele possui uma pequena loja, onde vende de tudo um pouco. E é justamente dessa loja que ele tira o seu sustento e o dos seus filhos. Inesperadamente, ao ver Katie pela primeira vez, Alex sente-se imediatamente atraído por ela. Aos poucos, o mesmo acontece com Katie.

Porém, será que ambos serão capazes de enfrentar os obstáculos que surgirão entre eles? Será que Katie irá resistir ao sentimento que insiste em dominá-la?

"― Porque todo mundo mente. É necessário para viver em sociedade. Não me entenda mal, eu creio realmente que é necessário. A última coisa que uma pessoa pode querer é viver em uma sociedade onde a honestidade irrestrita seja a regra. Consegue imaginar uma conversa desse tipo? "Você é gorda e baixa", diria uma pessoa, e a outra poderia responder: "Eu sei. E você cheira mal". As coisas não iriam funcionar. As pessoas mentem por omissão, e isso acontece o tempo todo. As pessoas sempre contam a maior parte da história... E eu aprendi que a parte que elas deixam de contar é sempre a mais importante. As pessoas escondem a verdade porque têm medo."
Pág.: 87

Confesso que fiquei completamente surpreendido com a história. Não é um dos melhores romances do autor, mas é uma ótima história. Na história, não há aquele romance lindo, que faz o leitor suspirar, chorar etc. Eu observo o livro como uma história de superação, onde duas pessoas tentam superar obstáculos que surgiram nas suas vidas e seguir em frente. Claro que mudar é uma decisão muito complicada, e torna-se mais complicada ainda quando é preciso seguir em frente e não olhar para trás. 

As personagens são tão intensas, que me apaixonei por quase todas. Katie é tão humana, que é impossível não se identificar com ela. Alex é uma pessoa tão boa e tão distinta, que é impossível não gostar dele também. Esse é aquele tipo de livro em que as personagens cativam o leitor de tal forma, que é impossível não se afeiçoar a elas. 

A narrativa flui de forma natural, calma e singela, tornando quase impossível deixar o livro de lado. A história possui um enredo bem estruturado, de forma que me deixou bastante satisfeito. E o final é tão interessante e até mesmo surpreendente, que me deixou satisfeito. E há uma revelação ― que eu não vou citar ― que foi o que mais me surpreendeu.

Contudo, é um ótimo livro. Proporciona ao leitor bons momentos de leitura e acima de tudo, apresenta personagens cativantes e verossímeis, que é possível até confundi-los com a realidade. Se você gosta dos livros do Nicholas, não hesite e leia, acredito que gostará muito. E mesmo que você não esteja tão interessado, dê uma chance... Pode ser que, ao menos, a história te proporcione momentos agradáveis.

Recomendo!




P.S.1: Não gostei da escolha da capa; não condiz com praticamente nada do livro.  
P.S.2: Quem, ao término da leitura, quiser compartilhar comigo o que achou da revelação no final, sinta-se à vontade. Eu adorarei. (: