sexta-feira, 21 de abril de 2017

[RESENHA] O Lago Místico - Kristin Hannah

O primeiro livro da Kristin Hannah que li foi "O Caminho para Casa" e adorei. Claramente já queria ler mais e mais livros da autora, mas demorei bastante para fazer isso, mesmo com alguns títulos da mesma na estante, só me esperando para conhecê-los. Só agora eu realmente parei e decidi me jogar em alguma nova história da dramática Hannah. A escolha foi "O Lago Místico". (Jura?) A premissa do livro sempre despertou meu interesse, e saber que havia romance na história só me animou. O livro possui personagens palpáveis, um drama coerente e convincente, mas alguns pontos deixaram a desejar e foram mal desenvolvidos, a meu ver. Antes que já esteja achando que não gostei da trama, peço-lhe para ser paciente e perceber, mais adiante, que eu gostei, mas esperava mais. 

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635811
Ano: 2014
Páginas: 368

Nota: (3,5/5)
Esposa e mãe perfeita, Annie vê o seu mundo desabar de uma hora para outra quando é abandonada pelo marido. A fuga momentânea é para Mystic, a pequena comunidade onde ela cresceu e onde o seu pai ainda vive. Lá, Annie começa a se reerguer novamente, descobrindo o amor por si mesma, por um velho amigo solitário e por uma garotinha que acaba de perder a mãe. Tudo está se encaixando na vida de Annie. Nick e Izzy se tornaram uma parte importante de seu processo de cura, e ela também se tornou essencial para a sobrevivência da relação entre pai e filha. Até que o seu ex-marido reaparece... e a tranquilidade rapidamente dá lugar ao desespero.Kristin Hannah encanta mais uma vez com uma história comovente, sensível e verdadeira sobre perda, paixão e os fios frágeis que unem as famílias.

terça-feira, 11 de abril de 2017

[RESENHA] Proibido - Tabitha Suzuma

Eu adoro dialogar sobre temas aparentemente polêmicos. Nem sempre são para mim, mas de modo geral, se eu for perguntar a algumas pessoas que circulam no centro da cidade onde moro (Caruaru, interior de Pernambuco), elas, no mínimo, farão carões e dirão coisas bem preocupantes. Mas o que você pensa quando escuta a palavra “incesto”? Meus familiares, a propósito, acham algo absurdo e ultrajante. Eu, muito pelo contrário (claramente a “diferentona” da família), considero apenas mais uma forma de amor, mais uma maneira distinta de amar, mas jamais diria que é incomum. “Proibido” foi um dos títulos mais comentados no mercado editorial brasileiro logo quando foi lançado. Não é uma história simples, ouso afirmar de antemão. Mas acho que deve ser considerada uma leitura necessária se o intuito for desconstruir e acima de tudo, respeitar as diferentes formas de amar.

Edição: 1
Editora: Valentina
ISBN: 9788565859363
Ano: 2014
Páginas: 304
Nota: (4/5)
Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis. Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes. Eles são irmão e irmã. Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

[DIVERSIFICANDO] Precisamos falar sobre EMPATIA

 

Recentemente, a Netflix liberou mais uma de suas novas produções: 13 Reasons Why (Os 13 Porquês, em português). A série claramente já é um sucesso e eu só tenho visto diversas pessoas assistindo e comentando nas redes sociais; os elogios são abundantes. No entanto, algumas expressões me inquietaram. Por um momento, foi como se as pessoas só tivessem olhado para o/a suicida de forma levemente “empática” após assistirem a produção e a única indagação que passa pela minha cabeça, até então, é: por que só assim?

No Brasil, a cada ano, 12 mil pessoas se suicidam, e ninguém parece refletir sobre isso ou pouco se interessa em buscar mudar, tentar fazer com que tal dado reduza consideravelmente. É alarmante! Eu compreendo que, cultural e invariavelmente, é muito provável que você nunca tenha visto tal realidade com pesar, e muito possivelmente até tenha julgado em alguma situação. Realmente entendo-lhe. Ou talvez até tenha indagado sobre as possíveis formas de mudar, buscar uma nova perspectiva, melhorias. Mas se já pensou sobre tudo isso e tentou ver diferente, enxergar que trata-se de vidas sem esperança alguma, o que falta para que você faça a diferença à sua volta? 

domingo, 2 de abril de 2017

[NOVIDADES] Lançamentos de Abril - Editora Arqueiro


Sinopse:

Como todo mundo, Julie já fez muitas coisas idiotas na vida. Ela poderia contar sobre a vez que resolveu descer a escada enquanto vestia um suéter e caiu nos degraus, ou quando tentou consertar um plugue ligado na tomada segurando o fio com a boca, ou quem sabe falar de sua fixação pelo novo vizinho que nunca viu: Ricardo Patatras. Julie tem o irritante hábito de fazer as maiores loucuras quando está apaixonada. E essa obsessão a leva a prender a mão na caixa de correio do vizinho enquanto espiona uma misteriosa carta... E o pior, ainda é flagrada pelo próprio dono da correspondência. Mas isso não é nada, nada mesmo, se comparado às maluquices que ela vai fazer para se aproximar desse homem e descobrir seu grande segredo. Movida por uma criatividade sem limites, intrigada e atraída por um desconhecido que mora tão perto, Julie assume riscos cada vez mais delirantes, sem perceber que pode cair na própria armadilha. Com mais de 3,5 milhões de livros vendidos, Gilles Legardinier mostra em Amanhã eu paro! uma história original e irreverente que com certeza fará o leitor morrer de rir.

terça-feira, 28 de março de 2017

[RESENHA] Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

“Tudo e Todas as Coisas” foi um dos títulos mais comentados no mercado editorial brasileiro, ano passado. Digo isso porque eu passei dias vendo o livro ser resenhado por vários blogueiros. Mas o que mais me inquietou foi o fato de que a história da Nicola Yoon dividiu opiniões: uns amaram, outros não encontraram nada relevante ou significativo para ser recomendado. E eu, muito obviamente, já havia colocado o livro na lista de desejados e precisava ler o quanto antes. Adquiri o livro na Black Friday e por apenas cinco reais. Legal, né? Mas só vim fazer a leitura recentemente, mais precisamente dois dias após ter saído o primeiro trailer da adaptação com o mesmo nome. E se você está indagando se eu recomendarei a leitura ou não, mais a frente direi.

Edição: 1
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581637884
Ano: 2016
Páginas: 304

Nota: (4/5)
"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

sábado, 18 de março de 2017

[DIVERSIFICANDO] Adaptações que eu ainda NÃO vi



Hey, people!
Como estamos? Espero que tudo bem e certinho.
Resolvi diversificar aqui no blog e comentar sobre algo diferente, mas que não fugisse do tema principal e fixo: livros. Então, neste post, eu irei comentar sobre algumas adaptações que já circulam por aí, mas eu ainda não parei para ver ou nem tive oportunidade para isso. Eu espero que vocês torçam para que esse quadro mude o quantos antes.
Sem mais delongas, confira abaixo:

terça-feira, 14 de março de 2017

[RESENHA] Um Perfeito Cavalheiro - Julia Quinn

É sempre um deleite fazer a leitura de romances de época, principalmente os que foram escritos pela querida Julia Quinn. Para quem a desconhece, ela é uma das autoras mais aclamadas e adoradas no que tange tal gênero e possui uma legião de fãs no Brasil e mundo afora. Em "Um Perfeito Cavalheiro" temos uma releitura do conto de fadas Cinderela, e o Bridgerton da vez é Benedict. Porém, antes de me aprofundar, deixo bem claro que apesar do livro conter falhas bem notórias (sim, infelizmente existem), ainda consegue ser um bom entretenimento, sem dúvida; principalmente se você, caro/cara leitor/leitora, adora ou é viciado em romances.

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412383
Ano: 2014
Páginas: 304

Nota: (4/5)

Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica. 

sexta-feira, 10 de março de 2017

[RESENHA] Confissões de Inverno - Brendan Kiely

Eu sempre nutri certa curiosidade por "Confissões de Inverno" desde o seu lançamento, mas não era nada desesperador a ponto de me fazer comprá-lo o quanto antes. A ânsia por conhecer a história do Aidan, protagonista do livro, só realmente apareceu com força total no início deste ano, após ler algumas resenhas. Fiz a solicitação à editora, recebi (obrigado, editora Arqueiro, amo vocês ), li e ainda estou surpreso com a intensidade em que diversos sentimentos da história me atingiram, de modo que nada soa como uma ficção qualquer. Longe disso! É tudo tão palpável que, durante muitos momentos, indaguei o seguinte: "Isso realmente não aconteceu?"

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580414639
Ano: 2015
Páginas: 224

Nota: (4,5/5)
À medida que sua família se desintegra, Aidan Donovan, um adolescente de 16 anos, procura consolo em estimulantes químicos, no estoque de bebidas do pai e nas atenções do padre Greg, o único adulto que realmente o escuta.O Natal chega e seu mundo entra em colapso quando ele reconhece o lado obscuro do afeto que o padre Greg lhe dedica. Enquanto tenta dar sentido à própria vida, Aidan conta com o apoio de um grupo de amigos desajustados: Josie, a garota por quem se apaixona; a rebelde e espontânea Sophie; e Mark, o carismático capitão da equipe de natação. Confissões de inverno mostra as formas pelas quais o amor pode ser usado como uma arma contra a inocência – mas também pode, nas mãos certas, restaurar a esperança e até a fé. O corajoso romance de estreia de Brendan Kiely expõe o mal que os segredos mais profundos que guardamos podem causar e prova que a verdade liberta e abre caminho para o amor.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

[NOVIDADES] Lançamentos de Fevereiro - Editora Arqueiro


Sinopse:

Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo perverso de diplomacia e mentira, procurando destruir aqueles que sempre deram tudo por ela. E revertem as culpas para o seu tutor, Saetan, que passa a ser visto como a maior das ameaças ao poder instituído. Com Jaenelle como Rainha, a chacina do povo e a profanação das terras irá terminar. Porém, onde se fechou uma porta poderá abrir-se uma janela E mesmo que Jaenelle possa contar com os seus aliados, talvez não seja suficiente: só um terrível sacrifício poderá salvar o coração de Kaeleer.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

[RESENHA] A Cidade dos Espelhos - Justin Cronin

É muito difícil falar sobre este livro. Eu amo a série em si, o primeiro livro (A Passagem) é maravilhoso e muito bem desenvolvido, o tipo de leitura que você jamais esquece com facilidade. Após fazer a leitura da sequência, Os Doze, e ter achado a leitura boa, mas que poderia ser melhor, eu ainda acreditava que o desfecho da trilogia seria inimaginável, intenso e incrível. Sim, minhas expectativas eram muito altas! Porém, a minha relação com este livro ainda é muito confusa, é algo do tipo amor e ódio. Como esperado, foi um deleite compreender inteiramente cada personagem e perceber, bem sutilmente, a intenção do autor ao desenvolver sua trama, entretanto, em contrapartida, não senti a intensidade esperada e não aconteceu nem um plot twist, ao menos. 

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416435
Ano: 2016
Páginas: 688

Nota: (3,5/5)
Num futuro em que todas as regras foram mudadas, é hora de cada um encontrar o próprio destino. Ano 100 D.V.: após a destruição dos Doze e de seus Muitos, nenhum viral foi visto nos últimos três anos. As fortalezas que protegiam os últimos humanos dos infectados começam a parecer desnecessárias. Na República do Texas, as vigílias constantes já não encontram inimigos e o controle de natalidade se mostra um contrassenso quando há todo um continente vazio à espera de ser repovoado. Com novas demandas do povo surgindo a cada dia, o presidente Peter Jaxon decide levar adiante a ideia de abrir os portões da cidade fortificada e dar início à reconstrução do que um dia foi um país de milhões de habitantes. Mas a atmosfera de calmaria é apenas parte de um plano maligno. Fanning, o Zero, aquele que deu início ao caos, esteve pacientemente aguardando em sua eternidade pelo momento em que as vítimas finais baixariam a guarda. Seu exército está pronto e, em suas fileiras, as armas são garras e presas e a motivação é a sede de sangue. Para fechar essa tão esperada trilogia, Justin Cronin construiu um conto de sobrevivência e fé, em que os limites entre o bem e mal são postos à prova e um questionamento inquietante permeia cada página: o que nos torna humanos, afinal?

sábado, 11 de fevereiro de 2017

[RESENHA] Ao Seu Encontro - Abbi Glines

Por que estragar algo que já estava bom? Qual a necessidade? Nem eu mesmo sei, embora quisesse. Eu juro que iniciei a leitura de “Ao Seu Encontro” completamente aberto e até esperançoso de que leria um bom romance e que a frustração passaria bem longe. Mas a Abbi Glines, mais uma vez, jogou outro balde de água fria em mim e cá estou, novamente, compartilhando meus descontentamento com a leitura. E antes que ache que estou sendo birrento logo no início da resenha, peço-lhe que seja paciente e prometo que mais adiante entenderá minhas razões. Eu sou humano, mas o erro não foi meu neste caso (lê-se continuação). 

Edição: 1
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580416541
Ano: 2017
Páginas: 224

Nota: (2,5/5)
Há apenas alguns meses, um encontro inesperado numa casa em Rosemary Beach se transformou num romance de conto de fadas. Agora Reese está prestes a ir morar com Mase na fazenda dele, no Texas. Com o apoio e o amor da família do namorado e a recente descoberta de que ela mesma tem uma família com a qual contar, Reese pode enfim superar os horrores do passado e se concentrar no futuro promissor que a aguarda. No entanto, no que depender de Aida, isso não vai acontecer. A beldade loura e Mase foram criados como primos, mas logo fica claro para Reese que o amor da jovem por ele está muito longe do que se deveria ter por um parente. Ao mesmo tempo que Reese tenta entender a relação dos dois e não se sentir ameaçada, entra em cena Capitão, um estranho que parece estar, convenientemente, em todos os lugares que ela frequenta. Bonito, sensual, misterioso e dono de uma franqueza desconcertante, ele não tem medo de dizer o que pensa de Mase - nem como se sente a respeito de Reese. Enquanto a competição pelo coração de Mase e de Reese esquenta cada vez mais, algumas perguntas em relação ao passado dela começam a ser enfim respondidas, revelando verdades chocantes que vão mudar para sempre a vida do casal. Em Ao Seu Encontro, Abbi Glines conclui a história que começou em À Sua Espera. Com a escrita romântica e voluptuosa que a consagrou, ela constrói mais uma narrativa envolvente, com personagens que vão mexer com as nossas emoções até o final.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

[RESENHA] A Montanha dos Mackenzie - Linda Howard

Mesmo sabendo que a vida adora me dar vários pontapés quando o assunto é paixão, relacionamento e fé-no-impossível (aka ser amado), eu ainda insisto, iludo-me mais e continuo lendo romances (incluindo os de banca). E não venha dizer que são puro clichê, previsíveis, irreais blá blá blá... A vida já é muito amarga, meu/minha caro/cara. Eu realmente preciso de doses homeopáticas de ilusão para me manter sano. Mas uma pergunta: já se interessou por um índio? Confesso que nunca cogitei a hipótese até ler "A Montanha dos Mackenzie". Agora considero qualquer possibilidade. Na verdade, estou falando isso porque me apaixonei por um índio, mas não qualquer um. Wolf Mackenzie não é nada do que você já pensou/imaginou/idealizou quando ouviu ou leu a palavra índio; ele é algo que transcende, entende? 

Edição: 1
Editora: Harlequin - Saraiva 
ISBN: 9788539808595
Ano: 2013
Páginas: 288

Nota: (5/5)
Ruth, uma cidade pequena do Wyoming, está prestes a aprender algumas lições com a nova professora do local. Para começar, Mary Elizabeth Porter está decidida a convencer o jovem Joe Mackenzie a voltar para escola. Mas Joe e seu pai, Wolf Mackenzie, sofrem o preconceito dos habitantes de Ruth por serem metade índios e metade brancos. Além de todos os obstáculos morais, Mary enfrenta também a natureza inóspita da montanha dos Mackenzie e, em meio a uma forte nevasca, segue para a fazenda deles. No meio do caminho, encontra Wolf. Agora, Mary sabe que também terá de amaciar o coração amargurado de Wolf e ensiná-lo a maior de todas as lições da vida: acapacidade de amar e de se deixar ser amado.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

[NOVIDADE] Fuga para o Paraíso - Paulo Mateus


Sinopse:

Uma grande guerra quase levou os humanos a aniquilação total, destruindo a maior parte dos recursos naturais existentes no planeta. Com uma atmosfera densa que bloqueia a luz do sol e um ar tóxico os sobreviventes tentam reerguer a sociedade humana. Pequenos impérios na forma de cidades altamente tecnológicas surgem, as diferenças dessas sociedades e os desafios do mundo interior e exterior se tornam cada vez maiores, obrigando essas sociedades a financiarem campanhas militares para continuarem existindo.
Além de todos esses desafios uma nova droga surge e começa a se espalhar rapidamente entre as pessoas, abalando todas as estruturas de um mundo já decadente.

domingo, 22 de janeiro de 2017

[RESENHA] Dois Irmãos - Milton Hatoum

Certo, admito que o interesse por este livro só surgiu após ver as chamadas da minissérie produzida pela Rede Globo. Eu não conhecia a obra, nem o autor, nada. Claramente um grande pecado, um erro inquestionável. Mas eis que o destino consegue ser bondoso (raras vezes isso acontece) e eu descubro, inesperadamente, que minha BFF (aka meu docinho de coco) tem um exemplar, leu e amou. Logo agilizei e fiz questão de pegar emprestado. E sendo bem franco: eu ainda não dava nada pelo livro; achava que não iria gostar e que seria, muito possivelmente, mais uma frustração literária. Eis que levei outro "tapa na cara" e fui surpreendido. Você não imagina quão incrível e complexa esta história consegue ser! Mas não estou insinuando que você encontrará algo ininteligível. Não. Na verdade, este é um livro que vai justamente esmiuçar toda a complexidade da alma humana, e de forma bastante sutil, em determinados momentos.

Edição: 1
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535908336
Ano: 2007
Páginas: 266

Nota: (5/5)

"Dois Irmãos" é a história de como se constroem as relações de identidade e diferença numa família em crise. É a história de dois irmãos gêmeos - Yaqub e Omar - e suas relações com a mãe, o pai e a irmã. Moram na mesma casa Domingas, empregada da família, e seu filho. Esse menino - o filho da empregada - narra, trinta anos depois, os dramas que testemunhou calado. Buscando a identidade de seu pai entre os homens da casa, ele tenta reconstruir os cacos do passado, ora como testemunha, ora como quem ouviu e guardou, mudo, as histórias dos outros. Do seu canto, ele vê personagens que se entregam ao incesto, à vingança, à paixão desmesurada. O lugar da família se estende ao espaço de Manaus, o porto à margem do rio Negro: a cidade e o rio, metáforas das ruínas e da passagem do tempo, acompanham o andamento do drama familiar. Prêmio Jabuti 2001 de Melhor Romance.

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

[RESENHA] A Aposta - Vanessa Bosso

Quando falam em livros da Vanessa Bosso, eu só penso em entretenimento garantido. Meu primeiro contato com a autora se deu com "Um Homem Perfeito". Ao fazer a leitura, eu gargalhei muito e nem percebi que era madrugada, e boa parte dos vizinhos estavam dormindo, creio. Mas foi uma leitura tão satisfatória e rápida, que já me obriguei, invariavelmente, a ler todo e qualquer romance escrito pela Bosso. Assim que soube do relançamento de "A Aposta" (o livro já havia sido publicado em formato digital), fiquei claramente interessado, e a curiosidade só aumentou após ler a sinopse. Mas acho que criei expectativas demais. Nada na leitura foi o que eu realmente esperava; não consegui me conectar com a história, entende? Adiante, explicarei melhor.

Edição: 1
Editora: Novas Páginas
ISBN: 9788581637891
Ano: 2015
Páginas: 288

Nota: (2,5/5)

Uma viagem de formatura. Uma aposta perigosa. Lex, o galinha do colégio, terá apenas sete dias para derreter o congelado coração de Nina, a garota que odeia quem use cuecas. Nina enlouquece quando descobre sobre a grande aposta do ano. E agora ela quer sangue: o sangue de Lex. Em meio a chantagens, intrigas, vinganças, diálogos ácidos, aventuras, romance e momentos hilários, as páginas desse livro entrarão em combustão espontânea. Quem sairá vencedor? Façam suas apostas. O jogo de sedução está prestes a começar.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

[RESENHA] Passarinho - Crystal Chan

Eu juro que não esperava que este livro fosse me surpreender tanto. Quando o comprei, foi puramente um ato de compulsividade mesmo, estava custando apenas R$ 9,90. Após ler a sinopse e ter admirado a capa durante alguns poucos minutos, decidi levá-lo para casa. A leitura só veio acontecer certo tempo depois, e numa segunda tentativa. Quando tentei lê-lo pela primeira vez, estava vivendo uma ressaca literária horrível e claramente não aconteceu. Mas como sou brasileiro, tentei outra vez e tudo fluiu perfeitamente, melhor do que o esperado. Eu não imaginei que me apegaria tanto a dois protagonistas tão jovens e humanos, e acima de tudo, não esperava que ficaria sofrendo por não poder entrar na história e acalentar o coração de Joia. 

Edição: 1
Editora: Intrínseca

ISBN: 9788580575354

Ano: 2014

Páginas: 224
Nota: (5/5 - FAVORITO )
O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu. 

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

[RESENHA] A Menina dos Olhos Molhados - Marina Carvalho

Quando ouço frases do tipo "Marina Carvalho vai publicar novo livro", só penso em uma coisa: quero. Tenho todos os livros da autora em formato físico e são leituras que sempre me proporcionam bem-estar e entretenimento. Quando soube que ela estava escrevendo a mesma história de "Azul da cor do mar", mas dessa vez sob o ponto de vista do Bernardo, fiquei receoso. Claramente tenho problemas com histórias narradas por personagens masculinos, mais especificamente romances. Entretanto, recebi um banho de água gelada (transcendeu a água fria). O Bernardo se mostrou um narrador muito mais interessante, e até a história pareceu mais agradável. Vai entender, né?

Edição: 1
Editora: Globo Alt
ISBN: 9788525062079
Ano: 2016
Páginas: 296

Nota: (4/5)
Bernardo é jornalista por vocação: curioso, comprometido e muito bom com as palavras. Trabalha há anos em um importante jornal da cidade e suas matérias investigativas são sempre elogiadas. Ele só tem uma limitação... Odeia trabalhar em equipe. Há alguns anos, Bernardo sofreu com uma grande decepção amorosa, o que contribuiu para o seu jeito fechado e antipático. Por isso a incumbência de levar Rafaela – a nova estagiária do jornal – para todos os lugares é como o inferno para ele. Bernardo não perde nenhuma oportunidade de evitá-la, mas Rafa, além de ser uma jornalista extremamente talentosa, não engole desaforo. Com o passar dos dias, Bernardo percebe que não conseguirá seguir seu plano de ignorar a estagiária, muito menos todos os sentimentos que ela desperta nele. Entre reportagens intrigantes e perigosas, eles vão descobrir que têm muito mais em comum do que a imensa paixão pelo jornalismo...

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

[NOVIDADES] Lançamentos de Janeiro - Editora Arqueiro


Sinopse: 

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braçaisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.
Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift.
Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado?
Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.