segunda-feira, 4 de junho de 2012

A Arma Escarlate - Renata Ventura [RESENHA]

Eu tentarei ser bem sincero nesta resenha — não que eu não tenha sido nas anteriores. Nada disso. Eu esperava muito da história e ao concluir a leitura, eu senti uma certa decepção. Não foi fácil escrever esta resenha e eu tentarei — de alguma forma — deixar bem clara minha opinião. 


O ano é 1997. Em meio a um intenso tiroteio, durante uma das épocas mais sangrentas da favela Santa Marta, no Rio de Janeiro, um menino de 13 anos descobre que é bruxo. Jurado de morte pelos chefes do tráfico, Hugo foge com apenas um objetivo em mente: aprender magia o suficiente para voltar e enfrentar o bandido que está ameaçando sua família. Neste processo de aprendizado, no entanto, ele pode acabar por descobrir o quanto de bandido há dentro dele mesmo.


Hugo é um personagem completamente diferente e interessante. Ele mora em uma favela, ao lado de traficantes e bandidos e quase sempre vive correndo perigo. Não é fácil viver na favela. E é justamente por isso, por viver em um ambiente completamente perigoso, que ele se destaca no meio de tantas outras pessoas da comunidade. Ele é um garoto esperto, que sabe ser ambicioso e que muitas vezes foge daquele perfil "protagonista bonzinho". Esse é um dos pontos positivos do personagem e até mesmo do livro. 
"Hugo foi atrás sem pensar duas vezes e os dois se embrenharam floresta adentro na semiescuridão de fim de tarde. Apesar da ótima velocidade que Hugo alcançava em corridas, o ladrãozinho conseguia ser ainda mais rápido. Talvez por fazer parte do time de Zênite; talvez por estar completamente cheirado. Provavelmente a segunda."
 Em meio a este cenário, surge um universo completamente diferente. E é justamente aí que a magia entra na história. Em alguns momentos, a semelhança com Harry Potter foi inegável. O livro faz também várias referências ao Brasil e suas culturas — e eu achei legal e interessante.


O livro também envolve outros assuntos — que de certa forma — eu os considero polêmicos, como: bullyng, tráfico e uso de drogas, falta de ética nas escolas etc. De certa forma, a autora uniu ficção e realidade de uma maneira diferente. Porém, eu acredito que a história poderia ter sido melhor.
"Vender trinta daqueles em quinze dias... para um bando de ignorantes que nunca haviam ouvido falar em cocaína. Talvez fosse até mais fácil, quem sabe. Eles não suspeitariam do perigo. Se Hugo superfaturasse, ganharia mais, e daí talvez não precisasse vender tudo."
Eu sinceramente nutri grandes expectativas em relação a esse livro. Mas nem todas foram superadas — o que é compreensível. Eu acredito que a autora possui um grande talento, porém — nesse livro — ela não soube explorá-lo tanto. Gostei da maneira como ela construiu cada um dos personagens. Mas eu senti que faltou algo na história; algo que me impulsionasse e que me surpreendesse.


A autora também usou diversos elementos do folclore brasileiro na história. Em alguns momentos, a leitura ficou um pouco cansativa, mas eu sempre tentava não abandoná-lo. E foi justamente por a Renata ser uma autora brasileira e possuir um talento inegável, que eu não abandonei o livro.


No cômputo geral, o livro é razoável. Quero deixar bem claro — e até mesmo enfatizar —, que esta é apenas a minha opinião  o que não quer dizer que você não vá gostar. Até porque eu vi que várias pessoas adoraram o livro. Eu agora esperarei o segundo livro e acredito que será melhor.


Fica a dica!

17 comentários:

  1. O livro não me chamou muito a atenção e pra dizer a verdade eu nunca tinha ouvido falar dele.

    Beijos,
    Marinah | Blog Marinah Gattuso

    ResponderExcluir
  2. A capa não é tão convidativa, mais acho que daria uma chance*
    Gostei da sinceridade na resenha!
    Beijos :)

    ResponderExcluir
  3. olá!

    A capa não é muito atrativa, mas parece ser uma estória bem forte!
    Acho que eu não teria interesse em ler o livro pela temática...


    Beijos,

    Samantha Monteiro
    Word In My Bag
    http://wordinmybag.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Só o fato de saber que há semelhanças com Harry Potter já me desanima a ler. Harry Potter é meu xodó, já reli os livros da série mais de 10 vezes... E é muito difícil achar algo que o supere. Mas daria uma chance ao livro, talvez por ser de autoria nacional.

    Bjinho,
    Pri.

    ResponderExcluir
  5. Ah eu adoro essa capa, a estória, enfin, tudo! rsrs
    Me apaixonei por esse livro.
    Evidente que existem semelhanças com Harry Potter, mas tipo é no mesmo mundo, pq não teria? E é isso que torna a estória mais interessante.
    Definitivamente Hugo não tem nada de Harry. Não mesmo! rsrs
    Gostei muitos dos assuntos que envolve a trama que que nos faz enxergar melhor os problemas do Brasil.
    Parabéns Leandro pela resenha, nem todos resenhistas são tão sinceros! :D
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, achei bem interessante mesmo por ele ter ficção e elementos reais como você citou e claro, por ser de autora brasileira, achei diferente o protagonista não ser um daqueles 'bonzinhos' e também da estória ser ambientada na favela. Enfim, fiquei curiosa sim pra ler esse livro *O* Mesmo não correspondendo as suas expectativas, quem sabe eu leia esse e seja diferente, já que eu não conhecia ele antes de ler sua resenha ><

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. ADorei a resenha e sua sinceridade. ADoreiii essa capa, traz um sentimento muito bom. Eu gosto muito de folclore brasileiro e gostaria muito de ler.
    Beijocas!
    http://palomaviricio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro
    Mas ele parece ser muito bom e ter uma tematica bem interessante
    Fiquei curiosa

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Leandro, acredito que essa semelhança com Harry Potter conquistou muitos leitores, mas acabou também afastando outros. E infelizmente a maioria comentaram que esperavam mais do livro, mas também que a autora tem talento.
    Gosto dos temas que estão por trás, como o folclore :)

    Parabéns pela resenha.
    Abraços
    Ricardo - www.overshock.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Leandro!

    Pois é, como você disse, muitas pessoas falam bem da estória, mas cada gosto é um gosto, só cada um lendo mesmo para saber, né? Adorei a sua resenha sincera, colocando o seu ponto de vista!

    Beijos!

    Marcelle - http://bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Leandro,

    Achei interessante a sua resenha e a sua opinião, mas quero avaliar outras resenhas, mas gostei da sua opinião....abçs.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo seu blog é uma graça amei os pósts !, dá uma passadinha lá no meu se puder , se gostar segue aqui de volta , beeijão
    http://fashionmaterialgirl.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. é a primeira vez que ouvi falar desse livro e estou um pouco curiosa para ler, principalmente porque a autora é brasileira e eu quase nunca leio livros de autores locais!
    beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Ótima resenha Leandro e parabéns pela clareza e exatidão ao expor suas ideias. Achei o livro interessante, mas ainda não sei dizer se eu leria. Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Olá Leo!
    Adorei a resenha, mas confesso que quando você falou pra mim que o livro não foi tão interessante em certos pontos, e até mesmo não supriu suas expectativas, me desanimei um pouco.
    Você escreve muito bem viu, parabéns mesmo!

    Beijos,
    http://bestherapy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. A capa não é nada chamativa, mas eu leria o livro só pela sinopse.
    Você disse que faltou algo, mas eu daria uma chance ao livro.
    Um bruxo numa favela no Rio de Janeiro, deve ser uma leitura interessante.

    Bianca
    Um Universo Fantástico

    ResponderExcluir
  17. Acho essa capa feia, mas tenho muita vontade de ler o livro, até porque o apelidaram de o "Harry Potter brasileiro" (I LOOVE HP ♥), Parabéns pela resenha :)

    Abraços, Quemuel
    http://theworldofbooks7.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Comente com moderação!